domingo, 29 de junho de 2014

Pimentos recheados com legumes

Ingredientes:

2 Pimentos médios
Alho francês a gosto
2 Cebolas pequenas
2 Dentes de alho
2 Tomates grandes
Sal e pimenta a gosto
Orégãos a gosto
Azeite a gosto
Queijo da ilha ralado

Limpar os pimentos e parti-los ao meio, retirar as sementes. Coloca-los num tabuleiro de ir ao forno. Regar com azeite.
Num tacho refogar a cebola, alho e tomate picadinhos, acrescentar o alho francês as rodelas e deixar refogar mais um pouco.
Temperar com sal, pimenta e os orégãos. Deixar por mais uns 5 minutos.
Rechear os pimentos e colocar o queijo por cima
Levar ao forno a 180ºC durante uns 30 minutos.

Podem usar outros legumes que tenham em casa.

Acompanhei com cuscuz.




Xénia

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Molhanga de tomate com bacalhau

Ingredientes:

1 Posta de bacalhau
2 Ovos
4 Tomates grandes maduros
2 Cebolas médias
4 Dentes de alho
2 Folhas de louro
Salsa e coentros frescos a gosto
Sal e pimenta a gosto
Azeite a gosto
Agua para cozer o bacalhau

Numa panela colocar agua e deixar ferver. Colocar o bacalhau de desligar o lume. Deixe o bacalhau na agua até arrefecer e depois desfiar.
Num tacho picar a cebola, o alho e o tomate e refogar tudo em azeite. Juntar o louro, sal e pimenta. Deixar por uns minutos, cerca de 10 e depois juntar o bacalhau desfiado.
Deixar por mais uns 10 minutos, mexendo bem.
Picar a salsa e os coentros e acrescentar ao preparado anterior. Partir os ovos para escalfar, e deixar uns minutos.

Prontinho



Xénia



 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Mais umas dicas


Um pouco de açúcar ao cozinhar os tomates fá-los perder acidez. O alho, a cebola e os pimentos, para uma melhor digestão, devem ser cozidos cinco minutos em água e sal, em ebulição, antes do segundo cozinhado.

Se as batatas possuem grelo devem ser colocadas de parte, pois serão pouco nutritivas e terão pouco gosto. As batatas pequenas, cozidas, descascam-se mais facilmente que as grandes. Estas últimas prestam-se a ser cortadas à faca, em quartos.

Para pelar os pimentos, passe-os primeiro sobre a chama, ou mergulhe-os em água a ferver.

Para evitar as lágrimas enquanto descasca cebolas basta mantê-las submersas numa bacia com água.

A beterraba assada no forno deve ser descascada, cortada às fatias e temperada uma hora antes de levar à mesa, com uma colher e meia de açúcar e bastante sal. Depois completa-se com azeite, vinagre e salsa triturada.

Para cozer os espargos é necessário amarrá-los em feixes, divididos de modo a poderem mergulhar na água a ferver, primeiro os grossos, depois os mais finos. Com este sistema acabarão por ficar cozidos todos ao mesmo tempo.

O segredo para obter claras em castelo em ponto firme é colocar-lhes uma pitada de açúcar ou uma gota de limão.

Para o feijão ficar mais macio durante a cozedura apenas se deve adicionar o sal no final.

As cebolas não devem ser guardadas no frigorífico mas sim num lugar seco e escuro, para assim se manterem viçosas durante mais tempo.

O segredo para conservar a fruta fresca já cortada ou manter a frescura de uma salada de frutas é adicionar-lhe umas gotas de sumo de limão.

A melhor forma de conservar os limões é mergulhá-los em água fria com frequência.

O objetivo da utilização das especiarias na culinária é de perfumar e realçar o sabor dos alimentos, podendo até substituir o sal.

A melhor forma de conservar os alhos e de facilmente se poder descascá-los é colocá-los no frigorífico, dentro de um frasco de vidro que vede bem.

A melhor forma de conservar o sabor e aroma do café, depois de abrir o pacote, é pô-lo no frigorífico dentro de um boião que feche hermeticamente.

O alecrim, que se deve utilizar seco e em pequenas quantidades, é ótimo para aromatizar o azeite, nos assados de carne.

 
Já alguém experimentou algumas destas dicas? Ou tem outras igualmente boas que queiram partilhar?
Xénia

Crepes de sonho

Algumas dicas para fazer crepes de sonho:

- Devemos usar sal fino;

- O leite deve estar à temperatura ambiente ou amornado;

- Também os ovos devem estar à temperatura ambiente;

- Antes de a incorporar, a farinha deve ser peneirada;

- Deve bater-se bem a massa até esta estar lisa e homogénea;

- A massa deve, depois, descansar durante 20 a 30 minutos;

- A frigideira deve ser antiaderente e no momento em que se derrama a primeira concha de massa, deve estar quente. Nesse momento gira-se logo a frigideira para que a massa fique uniformemente distribuída;

- Vira-se o crepe (depois de 1 minuto) com a ajuda de 1 ou 2 espátulas.


Uma sugestão

Ingredientes

Farinha: 120 g

Sal: 1/2 Colher de café

Ovo: 1

Leite: 3 dl

Manteiga: 120 g

Sumo de limão: 2

Açúcar branco: 50 g

 

Preparação

Para dentro de uma tigela larga, peneira-se a farinha juntamente com o sal.

Faz-se uma cova no centro onde se verte o ovo.

Bate-se com uma vara de arames, ao mesmo tempo que se adiciona o leite e 4 colheres de sopa de manteiga derretida.

Tapa-se a tigela e deixa-se o preparado repousar durante 1 hora.

Entretanto, aquece-se o forno a 140ºC.

 Deita-se 1 colher de chá manteiga numa frigideira e deixa-se aquecer.

Mexe-se bem o preparado anterior (polme).

Deita-se, então, um pouco de polme na frigideira deixando escorrer até cobrir todo o fundo.

Coze em lume médio até o crepe se apresentar seco por cima e dourado por baixo. Volta-se o crepe e deixa-se alourar do lado inverso.

Já num prato salpica-se o crepe com sumo de limão e açúcar. Enrola-se e coloca-se numa travessa de ir ao forno.

Cobre-se com papel de alumínio.

Quando saem do forno, onde ficam 10 minutos, salpica-se os crepes com manteiga derretida, sumo de limão e açúcar. Serve-se, então.
 
Bom apetite
Xénia

quarta-feira, 25 de junho de 2014

"Prove Vila Nova de Milfontes” com peixe e marisco


 

De 27 de Junho a 6 de Julho, a APTECE (Associação Portuguesa de Turismo de Culinária e Economia) promove mais um evento gastronómico. 11 restaurantes de Vila Nova de Milfontes vão incluir nas suas ementas o peixe fresco e marisco tradicionais da região.

Amêijoas à Bulhão Pato, Peixe Fresco Grelhado, Arroz de Marisco ou os tradicionais doces conventuais alentejanos acompanhados pelos vinhos da região, são algumas das sugestões em destaque, durante os 10 dias do “Prove Vila Nova de Milfontes”. Os 11 restaurantes aderentes – Tasca do Celso, O Botequinho do Xico, Oásis, A Fateixa, O Pescador "O Moura", Porto das Barcas, Pátio Alentejano, Casa dos Bifes, Portal da Vila, Paparoca e Quebramar – disponibilizam uma ementa composta por três pratos: entrada, prato principal e sobremesa, apresentando o que de melhor a região oferece.

A Costa Alentejana brinda, assim, a gastronomia com a frescura dos seus produtos regionais. Aqui peixes e maricos são harmonizados de forma simples, de acordo com a herança de um saber descomplicado de mestres pescadores. O saber que faz com que o peixe seja confeccionado ao natural, cozido, grelhado ou mesmo estufado, sempre com simplicidade.

 

Mais informações consultem o link:

Lombo de pescada gratinada com beringela

Ingredientes:

6 Rodelas de Beringela
6 Lombos de pescada
6 Rodelas de tomate
6 Colheres de natas
Queijo ralado mozarela a gosto
Sal e pimenta a gosto
Erva príncipe moída a gosto
Uma pitada de noz moscada
Azeite a gosto


Numa travessa de ir ao forno colocar no fundo as rodelas de beringela. Temperar com sal, pimenta, erva cidreira e azeite.
Por cima colocar as rodelas de tomate. Temperar novamente com sal, pimenta e erva cidreira. Colocar por cima os lombos de pescada e temperar novamente com sal, pimenta, noz moscada e azeite.
Dispor uma colher de natas em cima de cada lombo de pescada.
Por fim colocar o queijo ralado por cima e levar ao forno a 170ºC até ficar dourado. Leva mais ou menos 30 minutos, dependendo do forno.






Bom apetite
Xénia

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compota de tomate

Ingredientes:

1Kg de tomates maduros
500g de açúcar para compotas
2 paus de canela

O ideal seria escaldar os tomates, pela-los e retirar as sementes.

Não fiz nada disso, gosto da compota de tomate com alguma pele do tomate, não sei bem porque dá a sensação de maior sabor a tomate.
No entanto a escolha é de cada um.

Colocar numa panela os tomates, açúcar e paus de canela. Mexer até dissolver o açúcar e deixar em lume brando por 6 minutos (caso utilize só a polpa) ou por 10 minutos caso não os escalde.

Triturar com a varinha mágica, não esquecendo de antes retirar os paus de canela.
Levar ao lume novamente por uns 5 minutos em lume brando.



 


Bom apetite
Xénia



 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compota de pessego com laranja


Ingredientes:

1Kg de pêssegos
500g de açúcar para compotas
1 Laranja ( sumo e raspa)


As quantidades de fruta e açúcar são de 2:1, ou seja 2Kg de fruta para 1Kg de açúcar, depois é fazer consoante a quantidade que se quer.

Partir os pêssegos, retirar o caroço e casca. Colocar numa panela com o açúcar, a raspa de laranja e o sumo. Mexer bem. Deixar por 6 minutos em lume brando.
Triturar com a varinha mágica.
Levar ao lume novamente por 4 minutos em lume brando e mexendo de vez em quando.

Colocar em frascos esterilizados.


 


Bom apetite
Xénia

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Fricassé de frango

Ingredientes:

1 Frango partido em pedacinhos pequenos, mais ou menos uns 10 a 12, sem as peles
1 Cebola média
2 Gemas
Sumo de limão
4 Colheres sopa de natas
1 a 2 copos de vinho branco
1 Cubo de caldo de galinha
1 Copo de agua
Margarina a gosto
Sal e pimenta a gosto
Alho francês a gosto
Cogumelos a gosto

Parta a cebola as rodelas e refogue com margarina, sempre em lume bem baixinho.
Junte o frango já partido e temperado com sal e pimenta. Deixe apurar os sabores e acrescente 1 copo de vinho branco, água e o caldo de galinha.
Deixe em lume brando até o frango estar cozinhado.

Retire o frango e reserve, ao molho junte os legumes, alho francês e cogumelos e deixe estufar por uns 10 a 15 minutos.

Entretanto numa tigela misture as gemas com o sumo de limão e as natas. Tempere com um pouco de sal e pimenta.

Quando os legumes estiverem estufados junte o molho das gemas e mexa sempre para não talhar as gemas. Convém ter o lume sempre baixo.

Junte novamente o frango e deixe apurar por uns minutos. Sirva quente.

Podem acompanhar com arroz branco ou puré







 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Perguntas/respostas que podem ser uteis


1- Por que razão não se deve salgar os alimentos antes de os fritar?
O sal absorve a humidade e, por conseguinte, ao mergulhar os alimentos no óleo quente vai provocar um acréscimo de salpicos. Além disso, o sal pode também baixar o ponto de fumo do óleo e acelerar a decomposição química.
Se desejar utilizar o mesmo óleo várias vezes, não deve salgar os alimentos previamente ou, pelo menos, deve usar menos sal.

2- Porque razão os pudins de gelatina ficam, por vezes, com uma película rija?
As causas podem ser várias, como por exemplo ter deixado o pudim exposto ao ar demasiado tempo, o pudim ter já alguns dias ou, relativamente à quantidade de água ter sido utilizada demasiada gelatina.

3- Como se pode evitar que a manteiga se queime?
A manteiga começa a queimar quando a temperatura altera as características da proteína. Uma maneira de evitar ou minimizar este problema consiste em utilizar manteiga clarificada, da qual a proteína foi removida.
Outra maneira é utilizar uma mistura em partes iguais de manteiga e óleo vegetal, cujo ponto de fumo é mais elevado do que a manteiga pura.

4- Porque azeda o leite?
Cerca de 5% do leite é lactose, um açúcar que lhe dá um ligeiro sabor adocicado. Com o tempo, algumas bactérias presentes no leite destroem a lactose, transformando-a em ácido láctico. Como resultado, o leite azeda.

5- Porque razão se deve picar as batatas antes de as cozer?
As batatas picadas apresentarão uma textura melhor, uma vez que a maior parte da sua humidade foi libertada. Fica assim menos empapada, sem correr o risco de estalar devido à pressão do vapor no seu interior.

6- Quando se cozinham legumes numa panela convém que esta esteja tapada ou destapada?
Ao tapar a panela a quantidade de nutrientes libertados para o ar é menor, ao mesmo tempo que coze os legumes a uma temperatura mais elevada.
Alguns legumes mantêm melhor a sua cor verde viva em panelas tapadas.

7- Há vantagem em cozer as batatas antes da fritura?
Sim. As batatas cozidas podem ser fritas a uma temperatura mais elevada do que as batatas cruas.
Estas últimas têm tendência a ficar exteriormente queimadas enquanto o interior pode ficar mal frito.

8- Deve-se virar o peixe que está a ser grelhado?
Em princípio não será necessário pois a parte superior do peixe é cozinhado pelo calor que emana da grelha. Virar o peixe pode, inclusivamente, parti-lo.
Para evitar que o peixe se pegue unta-se previamente a grelha ou tabuleiro com um pouco de óleo.

9- Porque razão um filete cru começa a ficar com as extremidades amareladas?
Este fenómeno deve-se, normalmente, ao facto do peixe já ser antigo. Enquanto está armazenado o filete perde a sua acidez e a cor branca começa a amarelecer. Outro fator que também contribui para as manchas amarelas é a oxidação.

10- Qual o melhor modo de cozer os mariscos?
A cozedura dos mariscos é uma operação delicada. O marisco sobre cozido perde a graça e o sabor. O ideal é cozer os mariscos em água do mar. Não sendo possível, a água deve ser temperada com sal. Há um tempo de cozedura preciso para cada marisco. O respetivo peso também deve ser tomado em consideração.

Comidas do mundo estão na Mouraria



A Cozinha Popular da Mouraria organiza o primeiro Festival de Cozinhas do Mundo. A partir de hoje, 19 de junho, e até 28 de junho, o bairro histórico lisboeta dá destaque a outros sabores.

Estando a comida "intimamente ligada à identidade e cultura de cada povo", estar à mesa proporciona uma oportunidade de conhecer e apreciar toda a diversidade do mundo. Dias 19, 20, 21, 26, 27 e 28 de junho, a Cozinha Popular da Mouraria convida chefes internacionais para confecionar refeições especiais.

Cada refeição custa €15,00 por pessoa. As reservas (há limite de lugares) são feitas pelo e-mail cozinhasdomundo.reservas@gmail.com.

Para mais informações consultem o link abaixo:

Adoçante ou açúcar


Para muitos fazer dieta significa trocar o açúcar pelo adoçante e consumir produtos diet e light. É grande a variedade que existe hoje no mercado com produtos que tenham adoçante na composição, em vez do açúcar. Porém, de uns tempos para cá as pessoas começam a questionar: Açúcar ou Adoçante, qual o melhor produto?

O açúcar refinado é altamente calórico e se consumido em excesso pode provocar o aumento de peso, além do aumento da produção de insulina, possível aparecimento de cáries, etc.

Quem prefere o açúcar, experimenta a opção light, que possui as mesmas calorias do açúcar comum, só que possui um poder adoçante maior, necessitando de menos quantidade para adoçar. É uma mistura de açúcar com adoçante.

Com o processo de refinamento, o açúcar refinado perde nutrientes. A opção mais indicada é o açúcar mascavado, já que não passa pelo processo de refinamento, mantendo as suas propriedades nutricionais.

Quanto aos adoçantes, existem inúmeras opções: frutose, aspartame, sucralose, entre outros. E até mesmo aquelas opções de adoçantes que são utilizadas para preparações culinárias, que podem ser submetidas a altas temperaturas. Todos eles são produtos industrializados.

Alguns estudos indicam que o consumo excessivo e abusivo de adoçantes pode causar problemas de saúde, porém, não há nada cientificamente comprovado, por enquanto, são apenas pesquisas.

Diabéticos devem evitar o consumo de açúcar refinado, mascavado e light e dar preferência aos adoçantes, mas é sempre importante estar atento às recomendações de médicos e nutricionistas.

Para aqueles que não são diabéticos e apenas desejam emagrecer, caso não gostem do sabor do adoçante, prefira o açúcar mascavado, é bem mais saudável, mas fique atento no que diz respeito a quantidade.

Adoçantes naturais

Frutose - Extraído de frutas e do mel é mais doce do que o açúcar, contém grande quantidade de calorias e eleva os níveis de açúcar no sangue, não sendo indicado para diabéticos e para dietas de restrição calórica;

Stévia - Extraído de uma planta nativa da América do Sul (stevia rebaudiana) tem um sabor próximo do açúcar, não possui calorias e não altera os níveis de açúcar no sangue;

Sorbitol - É encontrado em algumas frutas, como a maçã e a ameixa, e em algas marinhas. Possui valor calórico e não é recomendado para diabéticos. É mais utilizado em pastilhas elásticas, gomas e biscoitos. Tem uma ação laxativa;

Adoçantes artificiais

Aspartame - Tem grande poder adoçante (200 vezes superior ao açúcar). Não contém calorias e o seu uso é permitido para diabéticos.

Sacarina - Criada em 1879, é sintetizada a partir do ácido toluenossulfônico, derivado do petróleo. Deixa um sabor residual amargoso e metálico, mas não contém calorias e pode ser usada por diabéticos. Por conter sódio, é contraindicada para hipertensos.

Ciclamato de sódio - Provém do ácido ciclo hexano sulfâmico, derivado do petróleo. Assim como a sacarina, não possui calorias e pode ser usado por diabéticos, mas também é contraindicado para hipertensos.

Sucralose - É extraído da cana do açúcar e modificado para não ser absorvido pelo organismo humano. Tem um sabor similar ao do açúcar, não contém calorias, não causa cáries, não aumenta a glicemia, podendo ser consumido por diabéticos, gestantes e hipertensos.

Acessulfame K - É isento de calorias, pois não é metabolizado pelo corpo, sendo excretado inteiramente na urina. Possui poder adoçante duzentas vezes maior que o açúcar e suporta altas temperaturas. No entanto apresenta um sabor residual amargo, por isso é utilizado pela indústria combinado com o aspartame ou o ciclamato de sódio.

 Xénia

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Segredos da Avó


A quantidade de eletrodomésticos que temos em casa e a grande disponibilidade de produtos alimentares à venda durante todo o ano facilita, e muito, a tarefa de cozinhar.

Hoje em dia temos saladas já cortadas e lavadas vendidas em embalagens; podemos comprar só coxas de frango sem ter de limpar as miudezas; o feijão pode vir em latas e não ser demolhado de um dia para o outro; os congelados são a salvação dos dias mais apressados. Mas é preciso reconhecer que se perdeu o sabor dos cozinhados das nossas avós. Para recuperar algumas técnicas que recordamos aqui alguns segredos da avó:


Molhos Para fazer molho de tomate, molho branco ou outro tipo de molho com mais sabor, aproveite a água de cozer as batatas. Mas não se esqueça de que já tem sal.

Ovos Nunca lave os ovos antes de os guardar, pois perdem a sua película protectora. É mais fácil e rende mais bater as claras em castelo se juntar uma pitada de sal e três gotas de limão.


Camarão Para dar ao prato final todo o aroma do camarão, coza as cabeças e depois refogue-as com alho, salsa e azeite. A mistura deve ser esmagada e coada por um passador e é este líquido que vai temperar as açordas, os rissóis e outras especialidades.

Polvo Para que não fique tão duro, deve ser batido com um rolo de cozinha e depois mergulhado três vezes em água a ferver. Em seguida, coze-se durante uma hora.

Sopa Se ficou muito salgada, junte umas rodelas de batata crua, que absorve o sal. Se quiser sopas mais cremosas, junte no fim um fio de leite ou natas e uma colher de manteiga.

Massas As massas não devem ser demasiado cozidas, mas devem ficar "al dente", como recomendam os italianos. Por isso, escorra a água da cozedura logo que desligue o lume e verta a massa para uma travessa, envolva com uma colher de manteiga ou junte o acompanhamento que preparou e sirva de imediato. Para cada 100 gramas de massa, recomenda-se 1 litro de água a ferver e 7 gramas de sal.


Vegetais Quando guardar vegetais no frigorífico, verifique que não há folhas estragadas, que podem deteriorar as sãs. As folhas exteriores, mais escuras, contêm maior quantidade de vitaminas, pelo que devem ser aproveitadas. Desate os molhos de hortaliças, salsa ou outras folhas, para que o ar circule livremente.

Carne Para os guisados serem mais saborosos e nutritivos, mergulha-se primeiro a carne em água a ferver. Só depois adicionar o sal e outros temperos. Corta-se em pedaços e utiliza-se conforme a receita. Nos assados, juntar um pouco de gordura, temperar e levar ao forno, já aquecido. A meio do processo, adicionar o molho ou caldo, de preferência muito quente (10 decilitros por cada meio quilo de água). Baixar a temperatura até ficar bem assada.


Peixe Verifique se é fresco: deve ser rijo, cheirar a mar, ter escamas brilhantes e os olhos claros. Mantém mais nutrientes se, ao assar no forno, for embrulhado em papel vegetal, untado com azeite ou manteiga.

A poderosa batata



A batata é um dos alimentos mais nutritivos do mundo. Contém amido, vitamina C, B1 e B6, fibras, ferro, potássio, magnésio e outros minerais. Além disso, é muito versátil, sendo um dos acompanhamentos mais comuns na gastronomia portuguesa.

Ao comprar batatas, evite as de pele esverdeada. Prefira batatas firmes ao tacto, sem manchas e não greladas.

A Primavera é a melhor estação para comprar as batatas novas, ainda não armazenadas e mais ricas em vitamina C.

Conserve-as num local escuro, fresco e arejado. Não as guarde juntamente com as cebolas, pois irá acelerar o seu apodrecimento.

Lave as batatas antes de descascar e retire todos os «olhos». Passe por água fria, escorra e cozinhe.

Geralmente, as batatas maiores são mais indicadas para fritos, sopas e purés; as pequenas para assar, saltear e guisar.

Como em muitos outros vegetais, a batata concentra na casca a sua maior fonte de nutrientes.  Assim, aposte em receitas em que a este tubérculo pode ser consumido com pele, como as tradicionais batatas a murro ou as saborosas batatas recheadas.

São João vegetariano

No menu marcam presença as sardinhas e o chouriço do caldo verde, mas nada tem origem animal: as sardinhas são de tofu, os peixinhos da horta são crocantes, os pimentos assados da época e a famosa sopa portuguesa traz rodelas de chouriço vegan.

Na noite de 23 para 24 de junho, o Cultura de Sabores aposta no menu de São João servido em buffet livre e sangria de fruta, a €11,95 por pessoa. Ainda por cima, o restaurante vegetariano fica perto da Avenida dos Aliados, onde a animação é garantida com o concerto de Bob Sinclair; e da praça da Cordoaria, tradicionalmente frequentada pelos foliões sanjoaninos.

Xénia

terça-feira, 17 de junho de 2014

Torta viana

Ingredientes:

4 Ovos
Peso dos ovos em açúcar
Metade do peso dos ovos em farinha
1/2 Colher de chá de fermento
1 colher sopa de margarina
Raspa e sumo de limão

Bater as gemas com o açúcar, juntar a raspa e sumo de limão. Acrescentar a farinha e a margarina derretida.
A parte bater as claras em castelo e juntar ao preparado anterior.

Untar um tabuleiro de ir ao forno com margarina e papel vegetal. Verter o  preparado e levar ao forno a 200ºC durante cerca de 10 minutos. É muito rápido, convém ficar de "olho" até ficar dourado por cima.

Ainda quente colocar o recheio á escolha, pode ser compota de qualquer coisa, leite condensado, etc.
Enrolar de imediato, tem que estar ainda quente.

A dica porque está muito quente é molhar um pano de louça e enrolar a tarte tendo o pano como auxilio.
Por ultimo polvilhar com açúcar em pó.




domingo, 15 de junho de 2014

Alcácer do Sal - Mel e petiscos de fazer crescer água na boca


 

Gastronomia, petiscos, doçaria regional e mel vão estar em destaque na Pimel - XXIV Feira de Turismo e das Atividades Económicas, que decorre de 20 a 24 de junho, no parque de feiras e exposições de Alcácer do Sal.

As atividades culinárias arrancam logo na sexta-feira (dia 20) com uma aula de doçaria regional a cargo da alcacerense Rita Morgado, às 20h30, no pavilhão central.

No sábado (21 de junho), também no pavilhão central, a doçaria vai ser rainha num concurso que se realiza a partir das 15h00 e que promete fazer crescer água na boca com iguarias ímpares. À noite, pelas 20h30, o chefe José Bengaló vai proporcionar uma aula de confeção de pratos com produtos típicos de Alcácer do Sal, tais como o arroz, o pinhão, o tomate e o azeite.

As aulas de cozinha ao vivo repetem-se no mesmo local e no mesmo horário nos restantes dias do certame, com a ressalva que a de segunda-feira (dia 23) vai ser da responsabilidade das vendedoras de camarão de Alcácer, Maria Falcão, Maria Letra e Vitalina Pedrosa, que vão ensinar a confecionar manjares com os derivados do rio e do mar.

De salientar ainda a realização dos habituais concursos de mel e de petiscos, cuja entrega de prémios está agendada para a tarde de domingo (22 de junho).

Outras atrações da feira da Pimel são o I Festival Internacional de Folclore da Ribeira do Sado, os concertos com Chave D’Ouro, Son Habanero, Pedro Abrunhosa & Comité Caviar e Mafalda Veiga, as tasquinhas, atividades equestres, subida em balão de ar quente e 50 stands onde se pode adquirir diversos produtos. Na praça central há ainda um espaço multiusos onde vão decorrer atividades como ateliers, jogos e pinturas faciais, incluindo ainda um cantinho de leitura e insufláveis para os mais novos.

 Xénia

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Peras bebadas

Ingredientes:

6 Peras inteiras
2 Copos de vinho tinto, +/- 500ml
250g de açúcar
1 Cálice de vinho do porto
1/2 copo de água
2 Paus de canela
Casca de laranja

Descascar as peras inteiras, mantendo o pé.
Numa panela junte o açúcar a água e leve ao lume. Junte o vinho tinto e deixe levantar fervura.
Junte os paus de canela e casca de laranja. junte as peras e deixe cozer em lume brando até ficarem macias.
Depois retire do lume as peras e ao molho junte o vinho do porto. Deixe ferver até  obter uma calda.

Coloque as peras num recipiente e o molho por cima.




Xénia

Copos de chocolate com morangos

Ficaram lindos os meus copos, uma sobremesa muito pratica.

Ingredientes:

Copos de chocolate, encontram a venda nas grandes superfícies, eu encontrei no Aldi
1 Pacote de natas para bater
2 Colheres de sopa de açúcar
Morangos a gosto
Folhas de menta maça ou outra para decorar.
Licor de ginja ou outro

Bater as natas com o açúcar.
Colocar dentro de cada copo um pouco do licor.
Por cima uma a duas colheres das natas batidas.
Por cima morangos e a menta picadinha.

E já está.



Xénia

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Tarte de lima

Ingredientes:

2 Embalagens de bolacha maria
200g de manteiga ou margarina
1 Iogurte natural
1 Lata de leite condensado
1/2 Litro de leite meio gordo
2 Folhas de gelatina incolor
Sumo e raspa de duas limas

Triturar a bolacha. Derreter a margarina e juntar a bolacha até formar uma bola. Forrar uma tarteira com esta massa.

Dissolva a gelatina previamente demolhada no leite quente e junte o leite condensado. Adicione o sumo e raspa das limas e o iogurte. Mexa tudo muito bem e verta sobra a bolacha.
Leve ao frigorifico durante pelo menos duas horas.

Pode decorar a tarte com raspa de lima por cima ou amêndoa em pó.




Xénia

Cheese cake de cereja

Ingredientes:

2 Pacotes de bolacha maria
1 Pacote de margarina ou margarina liquida
2 Pacotes de nada
1 Lata de leite condensado
4 Ovos
1 Embalagem de queijo creme, tipo Filadélfia
1 Embalagem de geleia de cereja
Cerejas a gosto


Triturar a bolacha e juntar a margarida derretida. Amassar e fazer uma bola. Estender numa tarteira.

Bater as natas, o leite condensado, o queijo e os ovos, até obter um creme.
Colocar por cima da bolacha e levar ao forno a 180ºC durante 1 hora, até ficar dourada por cima.
Deixar arrefecer.
Por ultimo juntar cerejas sem o caroço com uma embalagem de geleia de cereja, colocar por cima do creme.





Xénia

domingo, 8 de junho de 2014

Bifes de atum em cebolada com cuscus

Ingredientes:

3 Posta de atum fresco
2 Cebolas médias
4 Dentes de alho
1 Copo de vinho verde
Alecrim e tomilho fresco a gosto
2 Folhas de louro
Azeite a gosto
Sal e pimenta a gosto

Cuscuz
Ervilhas a gosto

Cobrir o fundo de uma travessa de ir ao forno com a cebola as rodelas, o alecrim e o tomilho. Colocar por cima as postas de atum, o alho picado, sal e pimenta. Regar com a azeite e o vinho verde. Levar ao forno a 180ºC durante cerca de 30/40 minutos, depende do forno.

De vez em quando regar os bifes com o molho para não secar.

Acompanhei com cuscuz de ervilhas.





Xénia

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Dicas temperos para saladas


O tempero é muitas vezes o toque final que transforma uma boa salada num prato sensacional. Existem inúmeros temperos distintos, desde os doces aos ácidos e fortes, os ricos e cremosos, os picantes, os leves ou aromáticos, mas o mais comum resulta da combinação de um líquido ácido, como o vinagre ou o sumo de limão, com azeite ou óleo e outros condimentos que engrandecem a combinação.

A escolha do vinagre e do azeite (ou do óleo) para a sua salada é geralmente uma questão de gosto pessoal. - O azeite, com o seu paladar distintivo, rico e frutado, é um elemento clássico dos temperos. Para conseguir os melhores resultados escolha um azeite extravirgem, obtido da primeira pressão. Em algumas saladas deve usar-se somente um azeite de boa qualidade como tempero - por exemplo, uma simples salada de tomate, mozzarella e manjericão não precisa de grande tempero, bastam umas gotas de azeite para desfrutá-la no seu melhor.

- Os óleos, como os de colza, girassol e de grainha de uva, possuem um sabor muito mais suave e são ótimos para temperos que juntem outros paladares mais fortes, tais como ervas aromáticas, mostarda e mel, ou aromas ainda mais fortes, de tipo asiático (como, por exemplo, alho, gengibre e malaguetas).

- O vinagre balsâmico é rico, escuro e doce, sendo ótimo para preparar temperos encorpados. A cor escura do tempero torna-o particularmente adequado para salpicar as saladas e confere um ótimo aspeto a saladas frescas, servidas em pratos brancos.

- Os vinagres de vinho branco ou tinto, bem como os de xerez ou sidra, possuem um paladar leve e fresco e também combinam com outros ingredientes dos temperos clássicos, tais como mostarda, mel, alho e ervas.

- Os vinagres de fruta geralmente têm por base o vinagre de vinho, e por isso partilham as mesmas características, embora muitas vezes apresentem um travo frutado.

- O sumo de limão é um dos ingredientes ácidos clássicos utilizados nos temperos. Possui um sabor leve, muito ácido, pelo que os temperos feitos com sumo de limão beneficiam se lhes for acrescentado um pouco de açúcar ou de mel.

 

ALGUNS TEMPEROS Os temperos descritos em baixo são verdadeiros clássicos e ficam bem em saladas simples, mas também noutras mais elaboradas feitas com massas, grãos, cereais ou verduras.

Temperos asiáticos

Misture 175 ml de vinagre de vinho de arroz com 2 colheres de sopa de açúcar, ½ malagueta vermelha finamente cortada, sem sementes, e 1 colher de sopa de coentros frescos e cortados até que o açúcar se dissolva. Tempere a gosto com molho de peixe thai.

Em alternativa, junte os ingredientes num frasco com tampa de rosca e agite para misturá-los.

Tempero de vinagre balsâmico

Bata duas colheres de sopa de vinagre balsâmico com quatro colheres de sopa de azeite, sal e pimenta preta acabada de moer a gosto. Em alternativa, junte os ingredientes num frasco com tampa de rosca e agite para misturá-los.

Tempero de queijo azul

Num robô de cozinha ou liquidificador misture 100 g de maionese com 100 g de natas amargas, 75 g de queijo azul esfarelado, 1½ colheres de chá de vinagre de vinho branco e uma boa pitada de pimenta preta, até ficar suave e cremoso.

Tempero de salada César

Bata 100 g de maionese, 1 colher de sopa com mostarda de Dijon, 1 filete de anchovas esmagado, ½ dente de alho esmagado, 1½ colheres de sopa de azeite e ½ colher de sopa com vinagre de vinho branco. Tempere com pimenta preta moída.

Tempero de mel e mostarda

Bata (ou agite num frasco com tampa de rosca) 1 colher de sopa com mostarda de Dijon, 1 colher de sopa de mel, ½ dente de alho esmagado, 2 colheres de sopa com vinagre de sidra, 5 colheres de sopa com óleo de colza e uma boa pitada de pimenta preta.

Tempero francês simples

Bata (ou agite num frasco com tampa de rosca) 2 colheres de sopa com vinagre de vinho branco e uma pitada de açúcar, outra de sal, uma boa pitada de pimenta preta e 5 colheres de sopa de azeite.

Tempero de tomate seco ao sol

Bata (ou agite num frasco com tampa de rosca) 2 colheres de sopa com vinagre de vinho tinto e 2 tomates secos ao sol em azeite finamente cortados, uma pitada de açúcar, uma pitada de sal, uma boa pitada de pimenta preta e 5 colheres de sopa de azeite do frasco com os tomates secos.

Tempero da ilha Thousand

Mexa 100 g de maionese, 1 colher de sopa de ketchup de tomate, um salpico generoso de molho inglês, 1 colher de sopa de salsa cortada, 1 colher de sopa de cebolinho cortado e pimenta preta moída a gosto.

Fonte: Booksmile (500 Saladas)

terça-feira, 3 de junho de 2014

Arroz integral soltinho


O arroz integral é um injustiçado. Em primeiro lugar porque criou-se o mito de que é difícil de fazer e que demora muito tempo, e depois porque as pessoas estranham o sabor real do arroz. Isto porque o arroz branco passa por um processo de polimento, que faz com que perca cerca de 70% dos nutrientes e do seu sabor de verdade.

Para que finalmente o arroz integral conquiste o espaço que merece na sua cozinha e na sua vida, aqui vai uma receita de arroz integral básica, que serve para acompanhar vários pratos no dia a dia.

 

Passo 1:
Coloque o arroz integral de molho na água de um dia para o outro ou três horas antes de cozinhar (mas se não conseguir deixar de molho por este tempo, qualquer meia horinha já ajuda);


Passo 2:
Refogue os temperos, cebola, alho e vegetais que quiser;


Passo 3:
Depois de refogados, acrescente a água e logo em seguida o arroz. A quantidade de água deve ser o dobro da quantidade de arroz (se for fazer 1 xícara de arroz, coloque 2 xícaras de água, por exemplo);


Passo 4:
Deixe cozinhar por aproximadamente 20 minutos, ou até amolecer ao ponto que você gostar. Se necessário adicione mais água.


 






Xénia

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...