quarta-feira, 27 de abril de 2016

NESTE RESTAURANTE PODE COMER TOTALMENTE NU

Alguém se aventura? o que acham deste conceito de restaurante? Eu pessoalmente não tenho nada contra mas dispenso a parte do nu, quanto as refeições acho muito bom, por aqui já somos adeptos de comida no carvão.
Em junho irá abrir um restaurante em Londres diferente de todos os outros, onde o cliente poderá fazer a refeição sem roupa.
créditos: Pixabay
O Bunyadi é um restaurante pop-up que irá abrir em junho na capital britânica, e que se manterá por 3 meses. Oferece aos seus clientes a possibilidade de fazerem a refeição sem roupa, completamente nus.
No entanto, não é uma condição obrigatória pois o restaurante vai estar dividido em duas salas: uma para quem quer pôr tudo a nu, e outra para quem quer comer vestido.

O nome do restaurante em hindu significa precisamente "ao natural". E não estão apenas a referir-se à roupa. A comida será servida sem químicos, não haverá gás nem eletricidade no restaurante assim como telefones. As refeições serão preparadas numa grelha a carvão, pratos em barro e os talheres são comestíveis. E não será permitido tirar fotos.
Os donos do restaurante gostam de conceitos diferentes e arrojados. Os mesmos abriram um bar de cocktails chamado Lollipop, totalmente inspirado na série de televisão "Breaking Bad".
O conceito de comer sem roupa parece estar a conquistar o público, tendo em conta que o restaurante tem já uma lista de espera mais de 27 mil pessoas.

artigo do parceiro:Susana Krauss

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Atum com grão e ovos no forno



 
Receitas da selene, espero que gostem tanto quanto eu.
O blog tem uma grande variedade de receitas, para utilizarem a yammi e para quem não tem nenhum robot de cozinha, também tem receitas alternativas e muito boas. Pelo que "cusquei" são todas fáceis de fazer, por isso o difícil é escolher. Optei por uma que me chamou atenção, cá em casa adoramos atum e com grão e ovos no forno nunca tinha experimentado, e ......resultou não restou nada.

Esta é a receita original, podem sempre consultar no blog Receitas da selene

Ingredientes:
- 1 Cebola
- 2 dentes de Alho
- 1 folha de Louro
- 4 colheres (sopa) Azeite
- 1 lata pequena de Tomate pelado
- 1 lata de Atum (usei 3 latas)
- 1 lata grande de Grão cozido
- Sal q.b.
- Pimenta q.b.
- 1 pitada de Cominhos em pó
- Ovos (1 por pessoa)
- 100gr de Queijo Mozzarela ralado
- 1 raminho de salsa picada

Preparação:
Descasque a cebola e os alhos e pique finamente.
Deite a cebola e os alhos para um tacho, junte o louro e o azeite, leve ao lume e deixe cozinhar até a cebola ficar douradinha.
De seguida, pique os tomates pelados com o respetivo molho, junte-os ao refogado, mexa e deixe cozinhar, em lume brando, mexendo uma vez por outra, durante 10 minutos.
Junte depois o atum escorrido e o grão com o molho, mexa e deixe ferver.
Retifique o sal, tempere com uma pitada de pimenta acabada de moer, adicione os cominhos, se gostar, e deixe ferver, em lume brando, durante 10 minutos.
Entretanto, ligue o forno a 180ºC. Deite a mistura do grão para um tabuleiro de louça ou pirex, abra em cima os ovos, polvilhe com o queijo mozzarela ralado e leve ao forno.
Quando os ovos estiverem cozinhados a gosto, retire e sirva quente, polvilhado com a salsa picada.





Xénia

sexta-feira, 22 de abril de 2016

As receitas mais vistas no blog

Estas são as minhas receitas mais vistas/consultadas no blog, Podem dar as vossas opiniões, adorava saber o que acham e se alguém já experimentou.

Para consultarem a receita basta clicarem em cima do nome que estão por baixo da foto


                                                 Filetes no forno - a mais vista de sempre


                                                                Bolo de chocolate








Bom apetite para todos
Xénia









À LA CARTE CHEGA A ALVALADE

A semana gastronómica que passa por diversos bairros da capital vai apostar nos restaurantes de Alvalade, de 27 de Abril a 1 de maio.
Durante cinco dias, os sabores diversos, dão-se a provar em pelo menos 13 restaurantes, do chinês ao tailandês, do italiano ao português, passando por hamburguerias restaurantes de hotel. Chuan Yue, Frankie Hot Dogs, A Tigela, Amuse Bouche Petiscaria, Burguer Rouge, Casa Al Parma, Casa do Lago, Cervejaria Snack Bar, Pomar de Alvalade, Recheio de Sabores, Restaurante Sem Nome, Barrosã Hamburgueria, Sala Thai e Hotel Roma são, até agora, os aderentes à iniciativa, que já vai na sua 5ª edição.
O “À La Carte” pretende dar a conhecer os serviços e o ambiente de cada freguesia histórica lisboeta. Como uma das mais recentes unidades administrativas, unindo os territórios de Alvalade, Campo Grande e São João de Brito, esta freguesia vai dar a conhecer menus de degustação criados especialmente para o efeito, dividindo-se em três categorias de preços: até 10 euros, de 10 a 20 euros e mais de 20 euros.
artigo do parceiro:

OS VINHOS DE VERÃO VÃO AO MERCADO DA VILA

Entre 29 de Abril e 1 de maio, o Mercado de Cascais acolhe a III Edição Mercado do Vinho. Brancos, rosés e espumantes são a estrelas do evento, que conta com provas, harmonizações e cursos.
“Vinhos de Verão” é o tema do Mercado do Vinho deste ano, onde será possível conhecer, provar, degustar, comprar e experienciar várias combinações entre os cerca de 40 produtores nacionais presentes, no fim-de-semana de 29 de Abril a 1 de maio.
Sushi, mariscos e leitão serão algumas das opções gastronómicas possíveis para quem pretenda fazer uma refeição no Mercado por aqueles dias, com a vantagem de poder escolher o vinho de entre as várias dezenas disponíveis. Já os visitantes que procurem conhecer os néctares de forma mais aprofundada poderão assistir a provas comentadas na sexta-feira pelas 19 horas e domingo pelas 17 horas. Também no sábado há boas notícias para os interessados no tema, com uma “Iniciação à Prova de Vinhos”, pelas 18 horas.
Na noite de sexta-feira, dia 29 de Abril, o jantar do Mercado da Vila é confeccionado pelo restaurante do Penha Longa Resort Hotel. A viagem dos paladares está pormenorizada mais abaixo e começa com ostras, caviar e camarão, passa por polvo e vitela e termina numa sobremesa que inclui “areias de Cascais”, tudo isto acompanhado por uma selecção de vinhos. Com um custo de 60 euros por pessoa, as reservas podem ser feitas por mailmercado.vila@dnacascais.pt ou por telefone 214 815 700.
Mais uma vez, a CP associa-se ao Mercado da Vila, dando a possibilidade de fazer a viagem de ida e volta de comboio pelas linhas de Cascais, Sintra/Azambuja e Sado pelo preço de 2 euros.
Jantar do Mercado – Penha Longa Resort
Amuse Bouche – Ostras e caviar de bergamota
Espumante Luis Costa, Pinot Noir e Chardonnay, Bairrada
Entrada - Tártaro de camarão, cebolinho, chalota e avruga com fruto da paixão
Quinta dos Plátanos, Arinto, 2014, Lisboa
Peixe – Falso arroz de conquilhas e pimento doce fumado com tempura de patanisca de polvo
Quinta do Couquinho Rose, Touriga Nacional, 2014, Douro
Carne – Meloso de vitela confitado com Touriga Nacional, creme de espargos brancos fumado e salada de tomate fresco
Quinta da Ponte Pedrinha Reserva Tinto 2011, Dão
Pre-dessert – Nozes de Cascais
Quinta do Poço do Lobo, Arinto, 1995, Beiras
Sobremesa -  Cremoso de lima e manjericão com biscoito de areias de cascais e gel de vinho do porto
Moscatel de Setúbal Joaquim Arnaud
artigo do parceiro:

Truques de culinária

O site Brightside.me reuniu alguns segredos de cozinha que prometem revolucionar os seus cozinhados caseiros. Ponha mãos à obra e solte o chef que há dentro de si.
  1. Para tornar o arroz ainda mais branco, adicione um pouco de vinagre durante a cozedura.
  2. Se é fã de alho experimente este truque: antes de servir a comida esfregue uma cabeça de alho no prato. Vai ver como vai notar mais o seu sabor.
  3. Ao cozinhar fígado adicione o sal sempre no fim. Se o fizer antes a carne vai ficar rija.
  4. Se pretende dar um toque especial e intenso a um prato de carne experimente fazer numa mistura de cerveja, soja, sal e pimentos, deixando que a carne repouse nesse preparado durante algumas horas.
  5. Uma boa forma de prevenir que a sua tarte fique chamuscada é colocar papel humedecido no topo.
  6. Para tornar os seus caldos mais aguados e claro é colocar uma pedra de gelo.
  7. Se tem dificuldade em cortar um ovo cozinho na perfeição, experimente passar a lâmina da sua faca em água fria antes de fazer o corte. Vai ver como a gema ficará intacta.
  8. Uma boa maneira de fazer com que o feijão não escureça durante a cozedura experimente destacar o tacho durante o preparado.
  9. Experimente adicionar um pouco de cebola frita, cebola crua e batata ralada à carne picada e verá como ficará com um sabor mais intenso.
  10. Uma boa forma de controlar o sal que coloca na comida é utilizar sumo de limão.
  11. Se não gosta muito do sabor da beringela, experimente – antes de cozinhar - cortá-la em pedaços, colocar sal e lavá-la com água.
  12. Descascar amêndoas não tem de ser uma dor de cabeça. Se as colocar em água a ferver durante 5 minutos e deixar arrefecer vai ver como a pele sai com facilidade.
  13. Para dar mais sabor ao seu café experimente adicionar uma pitada de sal.
  14. Uma boa forma de dar um aspecto apetitoso à sua carne tome nota: misture sumo de romã e mel com um pouco de vinho/conhaque e rege a carne com o preparado.
  15. A carne seca ganha uma nova vida se a partir em pedaços e a polvilhar com cebola, tomate, azeite, sumo de limão e vinagre.
  16. Experimente usar amendoins em vez de pão ralado nos seus cozinhados.
  17. Se a sua sopa está salgada experimente colocar flocos de aveia e deixar ferver durante alguns minutos. A aveia vai absorver o excesso de sal.
  18. O seu molho vinagrete vai adquirir um sabor diferente se no início do preparado adicionar uma colher de leite e uma colher de chá de açúcar.
  19. Uma boa forma de fazer com que a maçã não fique no fundo dos seus bolos e tartes é polvilhá-la com farinha antes de ir ao forno.
  20. Para dar um toque diferente à sua salada adicione um pouco de baunilha.
  21. Se adicionar sumo natural de couve, cenoura ou tomate à sua sopa ela ficará mais saborosa e com mais vitaminas.

Fonte: lifestyle

Dia do moscatel








O moscatel é ingrediente de vinhos, cocktails, gelados, compotas e até bombons, apresentados nos dias 9 e 10, na Casa da Baía, em Setúbal.
O programa comemorativo do Dia do Moscatel, efeméride que se assinala a 10 de maio, inclui cursos, apresentações e degustações, numa iniciativa organizada pela Câmara Municipal, pela Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal e pela Casa Agrícola Horácio Simões, com o apoio da Rota dos Vinhos da Península de Setúbal.
O evento começa com o curso “O Moscatel e o Chocolate”, conduzido por Filipe Cardoso, da Confraria do Moscatel, e pelo chef Nuno Gil, da Confeitaria São Julião, dia 9, às 10h30, que ensina, nomeadamente, as metodologias aplicadas na prova de chocolate, o que une o moscatel ao chocolate e as diferentes formas de produzir aquele vinho.
A ação, com duração de duas horas e meia e destinada a um máximo de 18 formandos, tem um valor de inscrição de dez euros, com direito a um diploma de participação.
Um espaço dedicado à promoção e venda de gelados artesanais da Ice Gourmet realiza-se das 14h00 às 24h00, enquanto das 15h00 às 18h00 há uma venda e promoção de cocktails de Moscatel de Setúbal e degustação de pastéis regionais, uma iniciativa do DejaVu Bar.
O “Moscatdinner – Harmonizações com Moscatel de Setúbal”, um jantar de degustação com a apresentação de moscatéis da Casa Agrícola Horácio Simões, com a presença do produtor, é servido às 20h00. A refeição tem o valor de 25 euros para adultos e de 10 no caso de menu infantil.
O DejaVu Bar proporciona, das 21h30 às 24h00, mais um espaço de promoção e venda de cocktails, em que o Moscatel de Setúbal continua a ser ingrediente obrigatório.
No dia 10, data em que se assinala o Dia do Moscatel, a Confeitaria de São Julião lança, às 16h00, novos bombons de moscatel, com os visitantes a poderem provar o doce gratuitamente.
Entre as 14h00 e as 20h00, a Ice Gourmet promove e vende gelados artesanais e, das 17h00 até às 19h00, a Sentidos Mil leva até à Casa da Baía um espaço de degustação de compotas e chutneys.
A encerrar os dois dias do programa, o DejaVu Bar convida os visitantes para um momento sunset com a elaboração de diversos cocktails, a realizar entre as 17h00 e as 20h00.
Para mais informações sobre o Dia do Moscatel deve ser contactada a Casa da Baía, através do número de telefone 265 545 010 ou do endereço de correio eletrónico gatur@mun-setubal.pt.

quinta-feira, 21 de abril de 2016

AQUI O CARAMELO NÃO É DOCE. É SOPA

O Mercado Caramelo decorre de 6 a 8 de maio, no Pinhal Novo.
Um mercado que recria a atmosfera de um período histórico pretende atrair milhares de pessoas a Pinhal Novo, distrito de Setúbal.
O termo “caramelo” refere-se à alcunha com que foram batizados os trabalhadores rurais oriundos da Beira Litoral, que chegaram aos concelhos de Palmela, Moita, Pinhal Novo, Pegões, Alcochete, Montijo e Barreiro na primeira metade do séc. XX. Com eles traziam hábitos alimentares e enchidos das suas terras, acabando por dar origem à criação da Sopa Caramela, que juntava ingredientes mais abundantes da Estremadura à base nortenha.
Este primeiro Mercado Caramelo pretende contribuir para a promoção e divulgação da cultura e da identidade Caramela, através de um leque variado de atividades, animação sociocultural e a história, envolvendo instituições e associações em momentos de recriação.
Além do mercado, nos dias 6 a 8 de maio, pode assistir ao Showcooking “Sopa Caramela”, na Casa Mãe da Rota de Vinhos, em Palmela, dia 13 de maio, às 18h0; e ainda ao Concurso ”Sopa Caramela na Adega”, na adega ASL Tomé, Pinhal Novo, no dia 14 maio, também às 18h00.
artigo do parceiro:

terça-feira, 19 de abril de 2016

PANELAS SAUDÁVEIS

O material com que cozinha é tão importante quanto os ingredientes que usa
Preocupamo-nos com a qualidade dos alimentos que consumimos, mas esquecemo-nos, muitas vezes, que os utensílios usados para cozinhar também influenciam a nossa saúde.
Embora os tachos, as panelas e as frigideiras sejam submetidos a testes de controlo que obedecem ao regulamento de segurança da União Europeia, a acidez de certos alimentos e os erros de utilização podem comprometer a qualidade dos materiais.
Boas opções
Os materiais que os especialistas mais recomendam:
- Vidro (pirex)
«É dos materiais mais seguros, uma vez que não liberta nenhuma substância para o organismo», afirma José Empis. Tem a vantagem de ser antiaderente. O único inconveniente é o preço. É ideal para cozinhar alimentos com elevados níveis de água, como os legumes. Por ser mais frágil do que os outros materiais, convém redobrar cuidados para não partir. Durante a lavagem, use esponjas suaves.
- Silicone
Composta por borracha sintética e oxigénio, a elevada antiaderência e a resistência são as suas principais vantagens. Não representa riscos para a saúde, já que não reage a alimentos, mesmo de elevada acidez. É indicado para cozinhar soufflés, molhos, ensopados, sopas, bolos. Não utilize a temperaturas superiores a 220º C, pois podem derreter. Alguns alimentos que possuem amido, como a massa ou o arroz, podem deixar manchas. Para as remover, passe um pano humedecido com sumo de limão ou vinagre.
- Aço inoxidável
Fabricado maioritariamente com ferro, contém também cromo e níquel. José Empis diz que «estas substâncias não passam para os alimentos». Alguns manuais aconselham a ferver as panelas várias vezes antes da primeira utilização, para eliminar o excesso de níquel, que «pode ser prejudicial a pessoas alérgica», refere a nutricionista. Evite cozinhar com o lume demasiado forte, pois os alimentos podem queimar-se. Se a comida agarrar ao fundo, coloque a panela de molho em água e não use esfregões abrasivos.
- Cerâmica
Apresentam superfícies lisas e, segundo o engenheiro alimentar, «não libertam nenhuma substância para o organismo». São fáceis de limpar e podem ser aquecidas a temperaturas elevadas. Antes de comprar, confirme no rótulo se não contêm chumbo ou cobre. Cerâmicas pintadas servem para decorar. Ideal para cozinhar assados e sobremesas. Use colheres de plástico ou silicone para não riscar o material.
- Esmalte
As panelas esmaltadas ou de ágata oferecem boa retenção de calor e são, confirma o engenheiro alimentar, «tão seguras que podem ser usadas para guardar os alimentos, além de impedirem a proliferação de bactérias». Contudo, há referências de que, antes de 1980, o esmalte continha quantidades de cobre e cádmio acima das aceitáveis. Este tipo de material é ideal para cozinhar carne, peixe ou massas, entre outros. Ao lavar, use esponjas suaves.
- Ferro
Usar panelas de ferro pode, como confirma Carla Vasconcelos, contribuir para aumentar o teor de ferro dos alimentos e «ser benéfico para pessoas que sofrem de anemia, uma vez que este metal é libertado durante a cozedura». É recomendado para cozinhar pratos que exigem muito tempo de cozedura, dado ser um bom condutor de calor. Evite usar esfregões de aço na lavagem. Podem provocar ferrugem, que é nociva para a saúde.
Limite o uso
Estes são alguns dos materiais menos recomendados pelos especialistas:
- Alumínio
Carla Vasconcelos, nutricionista, indica que «os átomos de alumínio das panelas podem provocar diferentes processos metabólicos associados a doenças do foro osteoarticular, neurológico e hematológico». Na opinião de José Empis, engenheiro alimentar, estes riscos não existem se «os utensílios de alumínio estiverem em boas condições. Todos os materiais que contactam com os alimentos são protegidos com uma camada fina de óxido de alumínio», refere.
É usado para cozinhar quase todo o tipo de preparados, de sopa a bolos, exceto os alimentos mais ácidos e os que se queimam facilmente. Segundo Carla Vasconcelos, «adicionar o sal depois de cozinhar pode diminuir a migração do alumínio para os alimentos». Deve cozinhar em lume brando para evitar o sobreaquecimento e durante a limpeza, usar esponjas macias para não danificar ou remover a camada de óxido de alumínio. Evite, também, a lavagem à máquina.
- Cobre
É desaconselhado pelo risco de migração para os alimentos. Atualmente, «é muito pouco usado na cozinha e, geralmente, é revestido com materiais como o politetrafluoretileno, titânio ou ácido inoxidável, que não entram nos alimentos», afirma José Empis. Carla Vasconcelos diz que «é preciso cuidado, pois mesmo ingerido em pequenas quantidades, pode provocar náuseas, vómitos e diarreia».
É sobretudo usado para cozinhar caldas de açúcar, dado que propaga o calor de forma homogénea. Evite, depois de cozinhar, deixar alimentos no seu interior. Na lavagem, tenha atenção para não remover o revestimento protetor.
- Barro
«Geralmente, a superfície brilhante que reveste as panelas e as caçarolas de barro é à base de pez, uma substância que, ao entrar em contacto com os alimentos, pode libertar algumas moléculas cancerígenas», revela José Empis. «Estudos realizados há alguns anos sobre a prevalência de cancro do estômago, em Portugal, concluíram que as pessoas que sofriam desta doença consumiam muitos alimentos cozinhados, durante grandes períodos, em tachos de barro». Este material é, sobretudo, usado para cozinhar assados. Pode usar, mas não abusar, deste tipo de produto.
- Teflon
A sua frigideira já não está intacta? Então está na hora de a trocar. Prático de usar, o revestimento antiaderente que cobre (teflon) frigideiras e panelas, à base de politetrafluoretileno, é utilizado para evitar que os alimentos não se agarrem à superfície e que o alumínio seja transferido para a comida. Segundo Carla Vasconcelos, o problema coloca-se quando o material fica danificado.
«Os alimentos absorvem o metal, o que pode ser nocivo para a saúde», sublinha a especialista. Além de que não é uma opção ecológica. «Se esquecermos uma panela ao lume, o teflon evapora originando gases CFC’s que destroem a camada de ozono», acrescenta. Para não deteriorar a camada antiaderente, prefira uma esponja não abrasiva e não use talheres de metal para mexer os alimentos.
Plástico seguro
Não aqueça a comida no micro-ondas em utensílios de plástico que não tenham o símbolo de segurança. Estas são outras das recomendações que deve seguir:
- Antes de guardar os alimentos em recipientes deste material, deixe a comida arrefecer, em especial os produtos lácteos.
- Evite usar utensílios danificados ou riscados.
- Não guarde alimentos em objetos de plástico que não estejam recomendados para uso alimentar.
Texto: Fátima Lopes Cardoso com Carla Vasconcelos (nutricionista) e José Empis (engenheiro alimentar)
artigo do parceiro:

AS PRINCIPAIS DÚVIDAS NA COZINHA


Tudo o que precisa de saber para fazer uma alimentação segura

Sabia que a maioria dos casos de intoxicação alimentar é causada pelo manuseamento e preparação incorrecta dos alimentos?
Resultam, na sua maioria, de gestos comuns facilmente evitáveis, mas que têm um grande impacto na saúde. Se nunca cozinha o arroz sem o lavar (tal como sempre viu a sua mãe fazer), fique a saber que se trata de uma precaução desnecessária, dado que o arroz será cozinhado. Nas perguntas e respostas que se seguem, ajudamo-la a desvendar este e outros mitos:

As panelas de alumínio são nefastas para a nossa saúde?
Os estudos realizados até agora revelam que os valores absorvidos de alumínio no processo de cozedura em panelas de alumínio são mínimos, mas aumentam se cozinhar alimentos muito ácidos, como o tomate ou a couve. Deve evitar armazenar alimentos nesses recipientes, pois os metais podem migrar para os alimentos durante a refrigeração.

Se um alimento não estiver completamente descongelado posso voltar a congelá-lo?
Nem todas as bactérias morrem quando são expostas a baixas temperaturas. Se descongela um alimento, as sobreviventes tendem a multiplicar-se. Se o voltar a congelar, vai conter um número mais elevado de microrganismos que poderão provocar intoxicações alimentares.

Devemos usar vinagre para desinfectar os vegetais?
O método mais eficaz para desinfectar fruta e vegetais é o cloro. No entanto, para uso doméstico, o vinagre, diluído em água, poderá ser usado.

Devo lavar a fruta mesmo que a descasque?
A fruta deverá ser sempre lavada antes de consumida, isto porque tem uma carga microbiana elevada no seu exterior, que pode entrar em contacto com o seu interior quando é descascada sem ser lavada.

Se eliminar, de um alimento, a zona com bolor, posso comer o resto?
O bolor é um microrganismo, visível a olho nu, que se forma nas matérias orgânicas quando entram em decomposição e produz toxinas. Estas penetram na totalidade do alimento, ou seja, mesmo as zonas sem bolor ficam contaminadas.

É perigoso beber um refrigerante directamente da lata?

Antes, deve ter o cuidado de passar um guardanapo na zona que entrará em contacto com a boca.

Actualmente, há boas práticas de armazenamento, mas já ocorreram casos em que as latas estavam contaminadas com urina de rato infectada com leptospirose, que provoca doenças no homem.
Posso comer um iogurte dois ou três dias depois do prazo?
Não se deve comer nenhum alimento após o prazo estabelecido, mesmo que o aspecto ou cheiro não tenham sofrido alterações.
Os alimentos com E no rótulo são nocivos?
Todos os aditivos alimentares (os chamados E) só podem ser usados na alimentação após rigorosa avaliação de instituições científicas competentes. Nessa análise dos dados toxicológicos, estabelece-se o valor da Dose Diária Admissível (DDA), uma estimativa da quantidade de aditivo que pode ser consumida todos os dias toda a vida, sem risco significativo para a saúde.
Posso guardar alimentos ainda quentes no frigorífico?
Se o fizer pode prejudicar os alimentos que já lá estão.
O ideal é arrefecê-los em recipientes fechados. Depois de cozinhados, os alimentos não devem estar expostos à temperatura ambiente mais de duas horas, pois as bactérias responsáveis pela sua deterioração tendem a multiplicar-se.

sábado, 16 de abril de 2016

Trouxas de couve recheadas com queijo e salsichas com molho de tomate

 
 
Ingredientes:
 
- 6 Folhas de couve lombarda
- 6 Salsichas de aves
- 6 Fatias de queijo, tipo flamengo
- 1 Lata de tomate triturado
- 3 Colheres de polpa de tomate
- Queijo ralado a gosto, usei mistura de 3 queijos
- 1 Cebola pequena
- 2 Dentes de alho
- Azeite a gosto
- Sal e pimenta a gosto
- Orégãos a gosto, usei 2 colheres de sobremesa
 
 
Preparação:
 
Escardar as folhas da couve em água, mais ou menos uns 10 minutos.
Em cada folha de couve colocar uma fatia de queijo e uma salsicha. Dobrar a couve de forma a que não se veja o interior. Repetir para todas as folhas de couve.
 
Num tacho refogar em azeite a cebola e o alho picados. Acrescentar o tomate e a polpa e deixar por uns minutos. Temperar com sal, pimenta e os orégãos. Deixar por mais uns minutos mexendo sempre.
 
Dispor as trouxas numa travessa de ir ao forno. Por cima dispor o molho de tomate e por ultimo o queijo ralado.
Levar ao forno a 180ºC durante uns 15 a 20 minutos.
 
Podem acompanhar com cuscuz ou arroz.

 
 
 
 



 
 

Bom apetite
Xénia

sexta-feira, 15 de abril de 2016

SALADAS COM QUEIJO, UMA DICA PARA REFEIÇÕES LEVES E SABOROSAS


A Montiqueijo apresenta dois novos produtos para complementar saladas, seja aperitivo, seja prato principal.
O queijo curado em azeite com pimentos e coentros e o queijo curado em azeite com azeitonas e orégãos aliam frescura com sabores fortes e aromatizados, e estão disponíveis em embalagens individuais prontas a consumir.
Fonte de cálcio, fósforo, vitaminas do complexo B e com um baixo índice de gordura, o queijo curado traz textura e sabor a uma salada nutritiva que se quer saciante. Se aprecia o sabor agridoce opte pela combinação levemente adocicada, frutada e crocante de pequenos pedaços de pimentos vermelhos, com o toque final do distinto aroma dos coentros. Se gosta especialmente do paladar mediterrâneo e não resiste ao intenso sabor da oliva, a solução com azeitonas verdes polvilhada com os aromáticos orégãos e alho é a escolha certa.
A Montiqueijo é uma marca portuguesa produtora de queijos e a única com produção desde a origem. Com o selo de qualidade e a tradição da região saloia, os queijos curados de vaca da Montiqueijo são o complemento perfeito para refeições leves e equilibradas.
PVP recomendado: 1,20€
artigo do parceiro: