terça-feira, 31 de maio de 2016

Crepes salgados recheados com sobras de frango e cogumelos


Mais uma invenção aproveitando sobras de frango. Desta vez foi com crepes salgados.

Ingredientes:

- 8 Crepes salgados, comprei já feito
- Sobras de frango
- 1 Lata de cogumelos laminados
- 1 Alho francês às rodelas
- 1 pacote dos pequenos de molho bechamel 
- 1 Cebola pequena
- 2 Dentes de alho
- Azeite a gosto
- Sal e pimenta preta a gosto

Preparação:

Picar a cebola e os alhos e refogar no azeite.
Juntar os cogumelos e o alho francês e deixar estufar um pouco por uns 10 minutos.
Juntar as sobras do frango desfiado e temperar a gosto com sal e pimenta. Não esquecendo que as sobras do frango já estavam temperadas.
Juntar o molho bechamel e rectificar temperos se necessário.

Colocar uma a duas colheres no meio de cada crepe e enrolar bem. Levar ao forno a 180ºC durante uns 10 a 15 minutos.

Nota: Podem também colocar queijo ralado.









Xénia

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Mousse de bolacha oreo


Mais um passatempo, para o grupo cantinho das cozinheiras.


Esta receita retirei do blog fastndeasy, onde podem consultar a receita original.

Alterei a quantidade de leite condensado porque para mim era demasiado doce e coloquei apenas uma colher de sopa.

Ingredientes:

- 1 colher sopa de leite condensado
- 1 pacote de bolachas oreo, tinha 4x44g
- 2 pacotes de natas, usei das frescas

Preparação:

Esmague as bolachas.
Bata as natas e adicione o leite condensado,misture as bolachas e leve ao frio.
Decore com bolacha moída.







PRATOS DE POLVO À PROVA NA LOURINHÃ

De 26 de maio a 5 de Junho, decorre na Lourinhã a 8ª edição da Quinzena Gastronómica do Polvo, que convida a saborear uma grande variedade de receitas de polvo, desde as mais tradicionais às mais inovadoras.
Durante 11 dias, 20 restaurantes do concelho da Lourinhã irão apresentar mais de 60 receitas que têm o polvo como ingrediente principal.
Nesta edição, há polvo para todos os paladares: Trouxa de Polvo com Chutney de Piquilhos, Risotto de Espinafres e Polvo, Polvo na Chapa com Batata Recheada à Algarvia e Emulsão de azeite, Polvo de Cebolada com Migas, Massada de Polvo com Gambas, Polvo à Bulhão, Chouriço de Polvo com Batata a Murro e Orégãos, Polvo al Ajillo com Puré de Batata de Doce, Doce de Polvo com Crocante Amanteigado Regado com Redução de Frutos Vermelhos, Calzone de polvo, Polvo frito com Citrinos e Caril de Polvo com Arroz Basmati, são algumas das sugestões.
“A Quinzena Gastronómica do Polvo tem sido um sucesso ao longo dos anos e tem vindo a afirmar-se como um evento de referência. Os restaurantes aderentes têm confirmado a recetividade por parte quer da população quer de turistas e, devido a este êxito, têm-se empenhado, ano após ano, na apresentação de pratos cada vez mais inovadores”, adianta Fernando Oliveira, vice-presidente da Câmara Municipal da Lourinhã e vereador com o pelouro do Turismo e Competitividade.
Restaurantes aderentes: Areal Beach Bar, Avenida Café Cervejaria, Barracão do Petisco, Casa Saloia, Restaurante Chico Neto, DM Vista Berlenga Cervejaria, Foz Restaurante, Jardim Cervejaria, Noiva do Mar Restaurante, Pizza & Companhia, Quinta da Luz “Restaurante o Teimoso”, Restaurante Adega do Careca, Restaurante Castelo, Restaurante D. Lourenço, Restaurante Dom Sebastião, Restaurante O Chafariz, Restaurante O Moleiro, Restaurante O Pão Saloio, Restaurante Residencial Braga e Restaurante Viveiro.
artigo do parceiro:

O MUNDO RURAL VOLTA A BONJÓIA

 melhor do campo vem à cidade do Porto, tendo Ponte de Lima como município convidado. A festa decorre na Quinta de Bonjóia entre 3 e 5 de Junho.
A Cereja de Resende assinala a 13ª edição da Feira do Mundo Rural e aproveita para adiantar as festas de São João no Porto. Nos dias 3, 4 e 5 de Junho, a entrada é livre neste evento que reúne produtores, artesãos e todos aqueles que se interessam por gastronomia, património, cultura e turismo de Portugal.
Através do lema "O mundo rural ao alcance de todos" procura-se proporcionar aos munícipes o contacto com os saberes e sabores característicos de cada região portuguesa. Este ano, o convidado é Ponte de Lima.
Para os mais novos, está garantida a animação, atelier temáticos e espectáculos musicais.
artigo do parceiro:

Corvina assada em cama de legumes



Ingredientes:

- 1 Corvina, tinha +/- 1.5Kg (tirei a cabeça e guardei)

Para os temperos, a gosto de cada um:
- Ervas de provence, coloquei +/- 2 colheres sopa
- Alho picado, usei 4 dentes de alho
- Salsa picada
- Pimento preta moída
- Tomate seco
- Sumo de 1/2 limão
- Azeite

Para os legumes:
- 1/2 Alho francês às rodelas
- 1/2 Pimento vermelho 
- 1/2 Pimento verde
- 1 Cebola às rodelas
Podem usar outros legumes que tenham em casa.

Preparação:

Colocar numa travessa de ir ao forno os legumes. Por cima colocar a Corvina e temperar bem. Regar com o azeite.
Levar ao forno a 180ºC durante cerca de 30 a 40 minutos. Até o peixe estar bem assadinho.








Bom apetite
Xénia

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Sushi

Uma experiência a repetir. Nunca me tinha aventurado a tal coisa, fazer sushi, comprei um kit no Jumbo que trás praticamente tudo o que é necessário para fazer o básico. comprei à parte o atum fresco, o salmão fresco e pepino.
E mãos à obra.

As fotos não ficaram muito bem, mas fiz:

- Salmão com pepino
- Atum
- Salmão






sexta-feira, 20 de maio de 2016

Bolo de ananás com caramelo

Ingredientes:

- 250g farinha
- 250g açúcar
- 6 ovos
- 1 Lata de rodelas de ananás
- 6 Colheres de sopa da calda de ananás
- 1 Colher chá fermento em pó
- Caramelo liquido a gosto

Preparação:

Pré aqueça o forno a 180ºC.
Bater as gemas com o açúcar até ficar um creme esbranquiçado. 
Juntar a calda do ananás e bater bem.
Juntar a farinha com o fermento e mexer bem.
Bater as claras em castelo e juntar à massa anterior. Mexer levemente.

Barrar a forma com o caramelo e forrar com rodelas de ananás (coloquei mais caramelo por cima).

Por cima colocar a massa e levar ao forno.

Sugestão: podem perfurar o bolo depois de cozido e colocar mais calda de ananás, assim ficam com um bolo húmido.







quinta-feira, 19 de maio de 2016

Nova Planta com sabor a manteiga

 
Lisboa, maio de 2016 – Há um novo elemento na família Planta, ideal para quem começa a preocupar-se com as gordurinhas a mais antes do Verão. Planta Sabor a Manteiga Magra, uma receita com menos 30% de calorias e gordura, mas com todo o sabor a manteiga e os benefícios da sua origem vegetal.
A nova Planta Sabor a Manteiga Magra oferece o delicioso sabor a manteiga, apresentando-se como
uma opção ainda mais saudável para o pequeno-almoço e lanche das famílias. À semelhança de toda a gama Planta, o novo creme vegetal provém de óleos 100% vegetais, constituindo uma boa fonte de
gordura monoinsaturada e polinsaturada (gorduras boas), rica em ácidos gordos Ómega 3 e em vitaminas A, D e E.
Estudos científicos destacam que, em termos de saúde, é mais importante ter em atenção a qualidade
das gorduras ingeridas do que a sua quantidade. Neste âmbito, a Organização Mundial de Saúde
recomenda a escolha de gorduras mais saudáveis, privilegiando as de origem vegetal ricas e gordura
mono e polinsaturadas, como os cremes vegetais para barrar.
Planta Sabor a Manteiga Magra está disponível no mercado a partir deste mês no formato 250g com um PVP recomendado de 1,79€.


Licor de morango e de limão

 
 
Licor de morango e licor de limão, estão a ter muito sucesso.
Se alguém estiver interessado, é só mandar mensagem.
 
 




segunda-feira, 16 de maio de 2016

TRAFARIA: FESTIVAL DE VINHOS E PETISCOS PROPÕE CRUZEIROS NO TEJO

O Passeio Ribeirinho da Trafaria recebe, entre 3 e 5 de Junho, o TRAFARIA (COM) PROVA, um festival em torno dos vinhos e petiscos, que conta igualmente com provas comentadas e cruzeiros vínicos no Tejo.
Os vinhos são de todas as regiões do país, com a presença de mais de 30 produtores de topo, com destaque especial para os vinhos da região da Península de Setúbal.
Os petiscos têm origem nos conhecidos restaurantes da Trafaria, herdeiros das tradições locais com um foco muito especial nos pratos de peixe e marisco, entre outras propostas culinárias.
Com a produção da Revista de Vinhos, o Festival conta ainda com provas comentadas de vinhos orientadas por especialistas, no Presídio Militar da Trafaria, atualmente em recuperação pelo município. Um programa que inclui, ainda, cruzeiros vínicos no Tejo e animação de rua.
A entrada é livre, sendo o acesso às provas de todos os vinhos em exposição condicionado pela compra prévia de uma pulseira de degustação no valor de 3,00 euros (com oferta de copo). Os visitantes poderão ainda comprar livremente todos os produtos expostos.
A iniciativa decorre na sexta-feira e no sábado (3 e 4 de junho), das 17h00 às 23h00, e no domingo (5 de junho) das 15h00 às 21h00.
O Festival é uma iniciativa da Câmara Municipal de Almada.
artigo do parceiro:

Folhados recheados com sobras de frango

..
Mais uma receita utilizando sobras, nada se desperdiça tudo se come. Fiz dois folhados um com franco e farinheira e outro de frango, cogumelos e bacon.


Ingredientes:

- 1 embalagem de massa folhada, usei da congelada
- Sobras de frango assado
- 1 Farinheira
- 1 Cebola às rodelas
- Bacon aos cubos a gosto
- Cogumelos laminados a gosto
- 1 Ovo para pincelar

Preparação:

Estender a massa folhada e dividir em duas partes, uma para cada folhado.

No meio da massa colocar sobras de  frango, a farinheira (retirar a pele) e a cebola.
Dobrar a massa folhada formando um quadrado, como podem ver na imagem abaixo.

Para o outro folhado, coloquei no meio da massa, as sobras de frango, cubos de Bacon, cogumelos laminados e cebola.

Pincelar com ovo e levar ao forno a 180ºC durante uns 20 minutos, ate a massa ficar no ponto e dourada por cima.







Bom apetite
Xénia

terça-feira, 10 de maio de 2016

OS BENEFÍCIOS DAS RAÍZES COMESTÍVEIS

Apesar de pertencerem a diferentes famílias, têm algumas características de cultivo em comum. Saiba o que a cenoura, a pastinaca, a beterraba e o nabo podem fazer pela sua saúde
Quando falamos de raízes, pensamos imediatamente nas cenouras e nas batatas. As batatas, apesar de raízes, são tubérculos que se desenvolvem nas raízes do batateiro. As cenouras são raízes e é deste grupo que vamos falar neste número, onde também se incluem a pastinaca, o nabo, o rabanete, a beterraba, o salsifi e a escorcioneira. As raízes comestíveis são uma forte componente da nossa alimentação.
Apesar de pertencerem a diferentes famílias,  estes ingredientes têm algumas características de cultivo em comum. Conheça os benefícios nutricionais de cada um deles:
- Cenouras
As cenouras, ricas em betacaroteno, substância que o nosso organismo transforma em vitamina A, são a rainha das raízes comestíveis. Doces e suculentas, foram introduzidas no território peninsular pelos árabes há cerca de 900 anos. Uma das suas qualidades é poderem ser consumidas cruas ou cozidas e também serem fantásticas para fazer conservas.
As mais conhecidas são as de cor alaranjada e de forma cónica e longa, mas existem muitas outras variedades que diferem tanto no tempo de cultivo como na forma e na cor. Uma das variedades mais comuns é a que chamamos cenoura branca que na realidade não é uma cenoura mas, sim, pastinaca. Além de vitamina B e C,  são ricas em cálcio, magnésio, ferro, cobre, zinco e iodo.
- Pastinaca
A pastinaca, rica em vitamina C, B1 (tiamina) e B3, está mais perto da cenoura no seu estado selvagem e já foi muito utilizada na culinária europeia, sobretudo pelos gregos e romanos antes da descoberta da batata. Apesar de já não a consumirmos, continua a ser usada para alimentar gado. Felizmente, ambas estão atualmente a reconquistar o lugar a que têm direito entre os legumes de paladar gourmet, juntamente com a salsifi e a escorcioneira, ingredientes que muitos chefs têm vindo a recuperar.
- Salsifi e escorcioneira
São ainda menos conhecidos, o que é surpreendente, visto serem ambos deliciosos. Os salsifis são conhecidos nos países anglo-saxónicos como oyster plant, devido ao seu requintado sabor.
- Beterraba
A beterraba, rica em ferro, açúcares, vitaminas e sais minerais, é outra das raízes comestíveis de que tanto gosto, não só pelo seu doce sabor a terra, como pela sua cor. Está intimamente ligada à acelga por fortes laços familiares. Tanto a raiz como as folhas podem ser consumidas cruas ou cozidas, é muito usada para fazer conservas em frascos, mas a sua maior utilização é na indústria do açúcar.
- Nabo
Outra raiz, que pertence à família das couves, é a cabeça de nabo. No ocidente, o mais vulgar tem uma forma arredondada e cor branca, com o topo variando entre o púrpura, o verde e o amarelo claro. Com um sabor bastante característico, tem vindo a perder popularidade na nossa culinária. Se não fosse o cozido à portuguesa e algumas sopas, já quase não se utilizaria.
Felizmente, uma outra variedade mais alongada do nabo é muito apreciada e utilizada no oriente e, como essa culinária é cada vez mais popular entre nós, podemos continuar a usufruir até das suas variedades mais exóticas.  A raiz deste vegetal possui uma alta concentração de vitamina C, um poderoso antioxidante.
- Rabanete
Os rabanetes são muito fáceis de cultivar, sendo mesmo a mais rápida de todas as culturas hortícolas. Basta dizer que estão prontos a colher entre três a seis semanas depois da sementeira. Por esta razão, semeiam-se muitas vezes em conjunto com outras hortícolas de crescimento mais lento, para marcar as linhas de plantio e facilitar a monda das ervas espontâneas sem perigo de danificar a cultura.
Apesar de não serem muito consumidos em Portugal, são muito apreciados pela sua beleza e variedade de cores vivas e fortes, dando um toque e um sabor apimentado muito especial às saladas. Além de cobre e zinco, este alimento é uma importante fonte de vitamina B6, vitamina B9, vitamina C e vitamina K.
Cuidados de cultivo
O modo de cultivo é uma das características comuns destas hortícolas, apesar de pertencerem a famílias distintas. A maior parte gosta de ser semeada em lugar definitivo e algumas, como as cenouras, não toleram mesmo o transplante. Como as suas sementes são muito pequenas, é usual misturar um pouco de areia branca para as semear, obtendo assim maiores espaçamentos.
Normalmente, é necessário fazer um desbaste durante o crescimento, pois de contrário ficam muito apertadas e não conseguem atingir os tamanhos desejados. Convém não aplicar muito composto no solo, pois pode provocar deformações e gretas nas cenouras e alterar os sabores. As cinzas são uma boa alternativa como adubo para estas culturas.
Por esta razão, as cenouras são uma boa escolha para cultivar a seguir a outras espécies que gostam de boa adubação, como é o caso das couves e da batata, só para referir duas. A melhor altura para semear estas hortícolas é no início da primavera, mas podemos cultivá-las durante quase todo o ano e mantê-las no solo por um largo período de tempo para serem colhidas à medida das nossas necessidades.
Texto: José Arantes
Xénia

LIDL SELECIONA QUEIJOS E ENCHIDOS PORTUGUESES

Os sabores de norte a sul a preços imperdíveis estão na campanha quinzenal da cadeia de distribuição alemã.
O Lidl promove a iniciativa “Sabores de Portugal“, dando destaque a uma selecção exclusiva de queijos e enchidos portugueses com preços muito competitivos, a partir de 0,99€ (caso da Alheira de Mirandela Terras do Vento Leste).
Dando a conhecer e a provar os sabores tradicionais, a campanha apresenta também algumas novidades, como a Alheira Sortida e o Chouriço de Vinho, nos enchidos, ou o Queijo de Vaca Curado, nos queijos. O queijo Ilha Azul do Faial, o Queijo de Cabra Curado Merendeira, a Alheira de Mirandela, o Pernil e Lombo Fumados, a Cabeça Fumada, o Cachaço Fumado Fatiado e as Alheira e Morcela de Seia são algumas das apostas do Lidl na produção nacional.
A iniciativa decorre até ao final do mês de maio.
artigo do parceiro:

Salada de cuscus

Ingredientes:

- 2 Latas de atum, bem escorrido
- Meio pimento doce verde (coloquei imagem abaixo)
- Meio pimento doce vermelho (coloquei imagem abaixo)
- 1 Lata de milho cozido
- 1 Tomate médio
- 2 Ovos cozidos
- Coentros picados a gosto
- Estragão picado a gosto
- Hortelã picado a gosto
- Sal e pimenta preta a gosto

Para os cuscus:
- Cuscus, usei uma chávena de chá, dá para 2 pessoas e ainda resta.
- Água para fazer os cuscus
- Sal a gosto
- Um fio de azeite

Preparação:

Cortar os pimentos, cebola, tomate e ovos em pedaços pequenos.
Picar todas as ervas.

Fazer os cuscus e deixar arrefecer um pouco. Basta ferver a água e juntar aos cuscus com sal e azeite. Deixar por uns 5 minutos e depois mexer com um garfo.

Juntar aos cuscus os pimentos, cebola, tomate e ovos picados, o milho, o atum, e as ervas aromáticas, temperar com sal e pimenta e envolver bem.










Estes foram os pimentos que usei.


Xénia

segunda-feira, 9 de maio de 2016

AS TAPAS VOLTAM A ATACAR, DESTA VEZ TAMBÉM EM BRAGA

Prepare-se mais uma edição da Rota de Tapas Estrella Damm em Lisboa, Porto e Braga, de 18 de maio a 5 se junho.
Na 7ª edição da Rota de Tapas Estrella Damm, a fusão de sabores, aromas e sensações inspiram novas criações culinárias.
O centro histórico de Braga junta-se às zonas históricas dos bairros de Lisboa (Cais do Sodré, Rossio, Alfama, Bairro Alto, Príncipe Real, Madragoa) e Porto (Baixa e Ribeira), para 19 dias repletos com a arte de tapear.
A marca de cervejas catalã desafiou os chefes a combinar estilos, técnicas e ingredientes para combinar numa só tapa. O resultado vai estar disponível juntamente com a garrafa Estrella Damm (0,25L), por um preço fixo de 3€, nos estabelecimentos aderentes (a anunciar brevemente).
Como já é habitual, a Rota de Tapas vai reunir toda a informação sobre as tapas de cada estabelecimento no mapa de cada cidade e na Zomato, prosseguindo também com o concurso que oferece uma viagem a Barcelona para duas pessoas e um jantar num restaurante gourmet de referência de tapas, a quem tiver pelo menos três carimbos, uma fotografia e partilha no facebook da marca.
artigo do parceiro:

sábado, 7 de maio de 2016

Queijadas D. Amélias

Decidi fazer as famosas Queijadas D. Amélias.
 
As Donas Amélias são uma receita típica da Ilha Terceira, tendo a sua origem em 1901, aquando a visita Régia da Rainha D. Amélia e do Rei D. Carlos pela Ilha Terceira. Este doce foi confeccionado em forma de uma queijada, provém de um outro bolo mais antigo, feito com especiarias. Os habitantes da ilha ofereceram ao Rei e à Rainha como forma de agradecimento, as queijadas, atribuindo assim o nome da Rainha aos doces, como forma de homenagem.
 
A primeira fornada não correu lá muito bem, mas a segunda até que ficaram boas. A receita não é minha, depois de muita pesquisa decidi-me pela do blog nacozinhademinhamae.
 
Ingredientes:
 
300g farinha de milho amarela
500g de açúcar
4 Ovos inteiros e 4 gemas
Meia colher de chá de fermento
Meia colher de sopa de canela em pó
2 colheres sopa de mel de cana/melaço
1 chávena de manteiga, mais ou menos 250g
Açúcar em pó para polvilhar
Podem usar passas, não usei

Preparação:

Numa tigela bater os 4 ovos com as 4 gemas, juntar o açúcar e bater bem, juntar o mel de cana e a canela em pó e bater novamente.

Juntar o fermento à farinha e misturar, derreter a manteiga e alternadamente ir juntando a massa a farinha e a manteiga mexendo bem entre cada adição.

Unte forminhas de queijadas com manteiga e farinha, coloque a massa dentro das formas, não encha as formas até cima, deixe espaço pois a massa vai crescer.

Para quem gosta pode colocar umas passas dentro de cada forminha.

Levar ao forno a 180ºC, devem ficar cozidas ao fim de uns 15 a 20 minutos, mas vão espetando um palito até que este saia seco mas não sem massa, pois estas queijadas ficam humidas. retire do forno e ainda dentro das fornas polvilhe com o acucar em pó. deixe-as arrefecer um pouco e só depois desenforme, se o fizer com elas quentes provavelmente não ficará nenhuma inteira. coloque em forminhas de papel frisado e sirva.





Xénia

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Bifes de peru recheados com cogumelos, queijo e ervas de provence

 
Desta vez usei as Ervas de Provence, para quem não conhece é uma mistura de várias Ervas Aromáticas, Alecrim, Tomilho, Segurelha, Orégãos, Manjerona, Louro. Podem até fazer em casa a mistura ou comprar já feito, em qualquer supermercado já existe.
 
 
Ingredientes:
 
- 4 Bifes de peru
- 1 Lata de cogumelos laminados
- Queijo ralado, 4 queijos a gosto
- 1/2 pacote de natas (usei das light)
- Ervas de Provence a gosto
- Alho em pó a gosto
- Pimenta preta moída a gosto
- Azeite a gosto
 
Preparação:
 
Temperar os bifes com as ervas de Provence, pimenta e o alho.
Estender cada bife e no meio colocar um pouco de cogumelos e queijo ralado. Enrolar o bife e ser for necessário podem prender com um palito.
 
Colocar numa travessa de ir ao forno e regar com as natas e um fio de azeite.
 
Os cogumelos que restaram coloquei ao lado dos bifes, temperados.
 
Levar ao forno a 180ºC durante cerca de 20 minutos.
 
 
Obs. podem em vez dos cogumelos colocar espinafres, fatia de queijo e fiambre, alheira...

 
 
 





Xénia

quinta-feira, 5 de maio de 2016

Robalo assado com cebolinho e batatas assadas com tomilho


Por aqui abundam as ervas aromáticas, a horta já tem uma grande variedade e decidi "abusar" do CEBOLINHO


"O cebolinho possui na sua constituição enzimas antioxidantes como a superóxido dismutase, a catalase, a peroxidase e a glutationa peroxidase. Estas enzimas encontram-se em maior quantidade nas folhas. Associado a estas enzimas, a erva do cebolinho é ainda fonte natural de flavonóides, carotenóides e clorofilas.
cebolinho deve ser consumido cru para usufruir da sua fonte de antioxidantes naturais como se de um suplemento se tratasse, o que pode ajudar juntamente com outras fontes vegetais a prevenir as doenças cardiovasculares, alguns tipos de cancro e mesmo atrasar oenvelhecimento da pele.
Depois de reunidas as informações nutricionais e as condições para plantar o cebolinho, não perca tempo. Aposte numa alimentação saudável, saborosa e condimentada com ervas aromáticas como é o cebolinho." Fonte: Stopcancerportugal



Ingredientes:

- 2 Robalos inteiros
- Sumo de 1 limão
- 1 Chávena de chá de molho de soja
- 5 Dentes de alho
- 4 a 5 Colheres de sopa de cebolinho fresco picado
- 2 Colheres de sopa de azeite


Preparação:

Colocar os peixes num tabuleiro de ir ao forno. Temperar com o sumo de limão, molho de soja, os alhos picados e o azeite. Deixar marinar cerca de 30 minutos.

Antes de levar ao forno espalhar o cebolinho por cima do peixe. Levar ao forno a 180ºC durante cerca de 30 minutos, ou até o peixe estar assado.
De vez em quando regar com o molho.


Acompanhei com batata assada, da miúda própria para assar. Temperei com ramos de tomilho, folhas de estragão frescas e picadas, pimenta preta moída e azeite. Levei ao forno a 180ºC até estarem assadas.
Coloquei as batatas uns 15 minutos antes do peixe.
















Xénia